quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Joan Miró Exposição em Florianópolis




Olá queridos!

Para quem gosta de arte e teve um tempinho para apreciar as obras de Joan Miró aqui em Florianópolis, pode ver obras que jamais haviam saído da casa de Miró em Barcelona.
Eu aproveitei um tempinho e passei lá para ver e trouxe hoje aqui algumas fotos das obras para quem não tiver tempo de ver.

Até domingo dia 15 de novembro de 2015, quem tiver um tempo, poderá ir até o Teatro do CIC, onde se encontra o Museu de Arte de Santa Catarina (Masc). Espaço aberto para visitantes com entrada gratuita.

Um pouco sobre Miró e suas obras:

Depois de passar por São Paulo, o Museu de Arte de Santa Catarina (Masc), espaço administrado pela Fundação Catarinense de Cultura (FCC), órgão vinculado à Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte (SOL), recebe a maior exposição já realizada no país dedicada ao artista Joan Miró (1893-1983). Produzida e organizada em sua edição brasileira pelo Instituto Tomie Ohtake, de São Paulo, em parceria com a Fundação Joan Miró de Barcelona, a mostra é composta por 112 obras: 41 pinturas, 22 esculturas, 20 desenhos, 26 gravuras e três objetos (pontos de partida de esculturas), além de fotografias sobre a trajetória do pintor catalão. As peças pertencem à Fundação Joan Miró, de Barcelona, e a coleções particulares. 

A exposição, com obras selecionadas pela Fundação Joan Miró, divide-se em três grandes blocos cronológicos que coincidem com momentos vitais do artista nos quais vai outorgar à matéria um papel preponderante. Nos Anos 30 e 40, as pinturas e desenhos da época da Guerra Civil Espanhola e da Segunda Guerra Mundial manifestam o início do interesse de Miró pela matéria. No período, seu caráter transgressor também se evidencia, sobretudo no terreno dos procedimentos técnicos. Foi no final dos anos 20 que Miró manifestou de forma explícita seu propósito de "assassinar a pintura", referindo-se a intenção de terminar com a concepção clássica da pintura de cavalete. É neste momento que Miró começa a fazer suas conhecidas colagens e objetos a partir de assemblage de materiais diversos.

Já nos Anos 50 e 60, com a presença maior de diferentes técnicas, destaca-se o interesse continuado do artista pela experimentação da matéria, que o levará a trabalhar de forma profusa no campo da escultura, enquanto nos Anos 70 verifica-se como Miró, sobre suportes mais inusitados, segue questionando o sentido final da arte. Neste período, uma importante coleção de gravuras indica a destreza do artista a desafiar os padrões da técnica. 

Em Joan Miró - A Força da Matéria, segundo os curadores da Fundação, busca-se evidenciar o desafio que, desde os anos vinte, o artista manteve com as artes plásticas do mundo ocidental por seu afã ilusionista, para recuperar as qualidades espirituais e mágicas que a pintura e as artes em geral haviam tido na Antiguidade. 

Fotos da exposição - A Força da Matéria:
















 


Além das obras em tela, Miró também fez esculturas.



O Guerreiro, pela sombra na parede você consegue ver bem.


O galo




 Durante a visita, vários alunos de escolas, recebendo instruções sobre Miró.




FONTE: Assessoria de Comunicação - FCC

Museu de Arte de Santa Catarina – Masc 
Localizado no Centro Integrado de Cultura (CIC)
Av. Gov. Irineu Bornhausen, 5600.CEP 88025-202 - Florianópolis/SC
Fones: (48) 3664 2630 / (48) 3664 2631

Agendamento de visitas: (48) 3664 2633



Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...