segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Insuficiência renal felina


Resolvi falar nesse post um pouco sobre a insuficiência renal, que é a doença que mais acomete os gatos.
Dia 21/09/2013, perdi a minha gatinha por causa dessa doença e acho importante passar aos que gostam desses bichanos, um pouco de informações sobre a maldita doença.
Em nenhum momento pensei que fosse essa doença a causadora dos vômitos e da sede excessiva que minha gatinha vinha tendo.
Talvez um pouco de negligência da minha parte esperar tanto para procurar um veterinário para saber a causa do mal estar que ela vinha sofrendo, por isso, quando seu gato apresentar algo estranho, procure imediatamente um veterinário de sua confiança.

O que é a insuficiência renal?
A insuficiência renal crônica não tem uma causa específica, gatos mais velhos podem desenvolver a doença por causa do declínio normal no funcionamento dos rins, outros, podem ter por causa de doença renal congênita, toxinas nos rins, alta contagem de cálcio no sangue e inflamação do rim.

O que é a creatinina??
A creatinina é um metabólito derivado do metabolismo protéico e é excretada pelo rim. O aumento da creatinina indica que o rim não está conseguindo filtrar corretamente e eliminar as toxinas e metabólitos do organismo. Com a falha na filtração, esses metabólitos se acumulam no sangue e provocam um espécie de intoxicação, deixando o gato sem apetite, nauseado e fraco. Além desses sintomas também pode ocorrer, mau hálito, cansaço e úlceras orais.
A doença é progressiva e irreversível, ou seja, com tratamento o gato pode viver algumas semanas ou anos, dependendo da gravidade de cada caso.

Prevenção?
Importante fazer um exame de sangue a cada ano, principalmente, após os 6, 7 anos do seu animal para acompanhar os níveis de creatinina e uréia.
 Importante!! Oferecer bastante água fresca para seu animal sempre!

Com essa breve introdução deu para entender que a insuficiência renal é uma complicação nos rins e agora contarei como foi com a minha Sofia.

A Sofia, há muito tempo sofria com vômitos, mas nos últimos meses seus vômitos foram mais frequentes e estava sempre com fome e muita sede. Estranhei a sede e achei que poderia ser diabetes, mas nunca me lembrei dos rins. Por ser sempre esbelta, não me dei conta que estava magra demais.

Pois bem, quando resolvi procurar a clínica e consultar com o veterinário, a primeira coisa que ele fez foi um exame de sangue, no qual constatou que a creatinina e uréia estavam muito altas.

Após o exame de sangue, foi necessário um ultra som, para verificar os rins e, neste, foi constatado que havia cálculos num dos rins, inclusive, um cálculo situado no canal, encontrando-se o rim aumentado. 

Após esse diagnóstico, isso no dia 05/08, Sofia foi imediatamente para a sala de cirurgia, onde passou pela retirada do rim, uma vez que estava aumentado e provavelmente não mais exercendo sua função.

Os cálculos


A partir de então, pensei que estaria tudo resolvido, pois conforme o veterinário, o gato consegue sobreviver por alguns anos com apenas um rim, mas não foi bem o que aconteceu com a minha Sofia.

No dia seguinte à cirurgia, Sofia retornou para casa, porém, sem apetite nenhum e com várias medicações para ingerir, que foi bem complicado e impossível, o que me fez voltar na clínica. Como ela ficou sem comer por vários dias, inclusive 2 dias antes da cirurgia já havia parado de comer, precisou ficar no soro, pois para o outro rim funcionar bem, precisava estar bem hidratada e receber bastante líquido.

Voltei até a clínica no outro dia para incentivá-la a comer, e não é que a minha presença foi o máximo para ela?? Ela queria meu colo o tempo todo e até comeu, sim, ela comeu bem pouquinho na minha mão. Foi decidido então que ela voltaria comigo para casa e assim foi.
Chegando em casa ela comeu mais um pouquinho, fiquei muito feliz! Após, quando voltei a oferecer novas refeições ela não mais comeu, tentei de tudo...

Retornei à clínica e lá foi ela para o soro novamente. Voltei para casa sem ela...mas no dia seguinte fui até lá para tentar oferecer a ração para ela e ela continuou não comendo.
Nesse momento foi realizado novo exame de sangue e foi constatado que a creatinina e uréia não haviam baixado e, por infelicidade, já estava ficando anêmica.

Conversei com o veterinário que me deu mais uma opção, um recurso que fizesse com que ela permanecesse entre nós. Foi então que resolveram colocar nela uma sonda esofágica para que fosse ministrada água, comida e medicações.



Nesse instante ela ficou muito apática, com dor...Fui visitá-la e levei o cobertor que era da caminha dela, nossa, a reação dela foi apenas deitar no cobertor e receber carinho e fiquei com ela durante 1 hora.
Mais uma vez, no dia seguinte, volto à clinica para buscá-la, aprendi como lidar com a sonda e ela veio para casa.

Foi muito difícil para mim ver aquilo, mas ao mesmo tempo ela estava viva e ao meu lado, porém, totalmente dependente de alguém para alimentar-se. Cada gemido ou barulho, me acordava para vê-la.

Foram dias de muita tensão, pois ao mesmo tempo que recebia medicações e comida, ela vomitava e tinha maus momentos, muito magrinha e fraquinha. Com o passar dos dias, até começou a lamber um pouco da comida pastosa, a mesma que ingeria pela seringa. Antes de ministrar na seringa, lhe oferecia no dedo e ela comia.

Numa noite troquei o curativo dela e fui até a área de serviço para jogar no lixo, quando retornei ela havia arrancado a sonda, o ponto que segurava a sonda na pele. Levei-a imediatamente à clínica e ainda foi possível empurrá-la de volta, sem maiores problemas. A partir de então, ela teve que permanecer com o colar, uma vez que o ponto que segurava a sonda à pele tinha sido arrancado.


Conseguimos levar assim até o dia 12/09, quando ela estava com uma carinha muito boa, mas após receber a medicação teve vômitos e, com isso foi necessário tirar o colar, uma vez que a sonda já estava solta e, em um momento de descuido, ela conseguiu retirar a sonda que saia muito fácil...

Nesse dia ela estava super bem, afinal era meu aniversário, ela comeu sozinha e tomou bastante água. À noite ficou comigo e entre amigos toda feliz. Feliz por estar sem a sonda e entre todos!


No dia seguinte comeu e bebeu água nas primeiras refeições e eu muito esperançosa estava feliz que havia voltado a comer e achava que assim ela se recuperaria, mas não foi bem assim, nesse mesmo dia à noite já não aceitou mais comida, somente água. 

E partir daí só aceitou água, tentei dar de tudo para ela, leite, atum, pão, bolacha, arroz, carne, frango...tudo em vão, não aceitava, tinha ânsias e vomitava sem comer...
Passei o final de semana tentando fazer com que comesse, mas na segunda levei-a para a clínica para colocar uma nova sonda e tentar novamente que ela se recuperasse. Assim foi feito, mas chegando em casa, ela regurgitou a sonda e voltei correndo para recolocá-la. Parecia que ela não estava se adaptando à nova sonda.

Começamos tudo do zero, mas eu ainda tinha esperanças que ela fosse conseguir, apesar do veterinário ter me alertado da possibilidade de talvez não conseguir sair da sonda...

Essa foi a pior semana de todas, ela ficou muito apática, vomitava muito, mesmo com medicação para não vomitar e estava bastante debilitada, magrinha, desidratada...

Mas tudo bem, fomos levando assim, porém, no dia 19/09 à noite, ela vomitou e regurgitou a sonda novamente, e dessa vez foi por inteiro. Esperei para levá-la apenas no dia seguinte e, conversando com o veterinário, vendo que suas chances eram poucas, resolvemos deixá-la sem a sonda...levando-a para casa num estado que jamais gostaria de vê-la, mas levei e ainda passamos a noite assistindo ao show do Bon Jovi no Rock In Rio pela tv no meu quarto, onde ela gostava de ficar...


Me despedi dela no dia 21/09, com muita dor e sofrimento, com desejo de que ela ficasse bem indo embora, pois aqui havia cumprido sua parte, apesar de ter apenas 8 anos e 8 meses...

Ela nos trouxe muitas alegrias, amor e fez parte de momentos incríveis da nossa vida, digo, comigo, meu filho, meu marido e o irmão dela Átila, que ela não gostava nenhum um pouco...

Agora ficam as lembranças dos momentos bons que tivemos juntas, sempre minha companheira em todas as horas e, esse exemplo foi o mesmo que quis passar para ela quando precisou de mim.
A saudade é imensa e sei que será eterna!

Aproveito aqui para agradecer à equipe da Clínica Cão.com, aos veterínários Luciano, Eduardo e João, pelo apoio prestado e esforço para que minha pequena se recuperasse, principalmente ao Luciano que acompanhou tudo desde o início e manteve contato diário comigo para tirar todas as dúvidas e percalços pelo caminho.

Minha página no Facebook:
https://www.facebook.com/blogdaestelakunzler

8 comentários :

  1. Nossa Estela, meus sentimentos pela Sofia! Sou Amanda responsável pelo site da Cão.com, conversamos na sala de espera no dia que ela foi repor a sonda lembra?
    Eu não sabia que ela tinha nos deixado. Que peninha!
    Mas se isso te conforta pode ter certeza que ela está num lugar lindo e se sentindo muito bem agora, e você fez tudo que estava a seu alcance para ajudá-la mas infelizmente não temos o poder da cura plena e cada um tem o seu tempo aqui na Terra.
    Um beijo grande e força para sua família!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Amanda pelas palavras de conforto!
    A perda da Sofia foi muito dolorida, afinal, ela era uma gata especial para mim e os momentos que passei com ela foram únicos.
    Apesar de ter mais um gato, ela faz muita falta e deixou um vazio enorme. Com o tempo deve passar, pois agora o Átila vem criando o seu espaço e se aproximando um pouco mais, o que ele não fazia antes.
    Agradeço à toda equipe da Cão.com que me prestou apoio e fez o possível para a Sofia se recuperar, principalmente ao Luciano, que nem nos dias de folga deixei ele descansar...
    Obrigada!

    ResponderExcluir
  3. Que linda! Fica na memória os bons momentos e tuas tentativas de oferecer o melhor possível para ela! bjoo

    ResponderExcluir
  4. Muito obrigada pela sua partilha. Estou a passar por uma situação semelhante. Estou super ansiosa, Tenho de tomar decisões difíceis. Nunca pensei que isto fosse assim. A minha gatinha chegou ao ponto em que não come.
    Muitos beijos
    Andreia

    ResponderExcluir
  5. Olá, mesmo depois dese tempo todo, gostaria de expressar meus sentimentos! Também estou passando por algo bem parecido com a minha Jade! Adorei sua explicação básica e esclarecedora, sem o jargão dos veterinários. A Jade tem 14 anos e tem insuficiência renal e sinusite. Por enquanto ainda estou dando remédios via oral, apesar da estomatite e comida de 2 em 2 horas e o soro sub cutâneo 2 vezes ao dia. Ela está ficando estressada e só se alimenta através da seringa. Logo, a veterinária disse que teremos que colocar a sonda esofágica porque a nasogástrica ela não pode devido aos espirros da sinusite. Sei que está chegando a hora de nos despedimos, mas o que estiver ao meu alcance eu farei! Afinal ela me proporcionou tanta alegria que é um mínimo que estou fazendo . Jade, te amo com todas as minhas forças! Fique bem, fique comigo! Obrigada Estela por compartilhar conosco um pouco da sua história, me senti à vontade para fazer o mesmo e até um desabafo. Tem muitas pessoas que não nos compreendem e acham um absurdo ficarmos envolvidos com nossos pets. Mas a Jade é muito mais do que eu preciso, é uma parte de mim. Farei tudo o que eu puder para que fique comigo por mais tempo desde que não sofra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelas palavras Fofys! Fico feliz por ter gostado da matéria e meu desabafo com minha Sofia.
      Entendo muito bem o que estás passando, infelizmente a insuficiência renal é muito traiçoeira. Quando descobri a da Sofia já era tarde e todos os esforços foram em vão. Sua rica Jade ainda está ao seu lado e tudo que fizer por ela, será compensador para você. Quem sabe, e assim espero, que com a sonda ela ainda consiga ficar muito tempo ao seu lado.
      Com muita força e dedicação, desejo que fiques bem ao lado dela enquanto precisar!!
      Só quem tem o amor pelos pets é que consegue compreender o que sentimos!!!
      Força Jade!! Aguenta!!
      Beijo no coração de vocês!!

      Excluir
  6. Olá, mesmo depois dese tempo todo, gostaria de expressar meus sentimentos! Também estou passando por algo bem parecido com a minha Jade! Adorei sua explicação básica e esclarecedora, sem o jargão dos veterinários. A Jade tem 14 anos e tem insuficiência renal e sinusite. Por enquanto ainda estou dando remédios via oral, apesar da estomatite e comida de 2 em 2 horas e o soro sub cutâneo 2 vezes ao dia. Ela está ficando estressada e só se alimenta através da seringa. Logo, a veterinária disse que teremos que colocar a sonda esofágica porque a nasogástrica ela não pode devido aos espirros da sinusite. Sei que está chegando a hora de nos despedimos, mas o que estiver ao meu alcance eu farei! Afinal ela me proporcionou tanta alegria que é um mínimo que estou fazendo . Jade, te amo com todas as minhas forças! Fique bem, fique comigo! Obrigada Estela por compartilhar conosco um pouco da sua história, me senti à vontade para fazer o mesmo e até um desabafo. Tem muitas pessoas que não nos compreendem e acham um absurdo ficarmos envolvidos com nossos pets. Mas a Jade é muito mais do que eu preciso, é uma parte de mim. Farei tudo o que eu puder para que fique comigo por mais tempo desde que não sofra.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...